Saudades de Dona Chiquinha: benção mãe.

O dia dedicado às mães nos proporciona uma alegria ou mesmo saudade, sentimentos que não encontramos em lojas.

Neste Dia, desloquemo-nos do sentido comercial para observarmos o verdadeiro sentido, do amor, carinho e dedicação incondicionais, que nos são ou foram ofertados por elas, todos os dias de seus dias.

No Brasil, o Dia das mães é comemorado sempre no segundo domingo de maio (de acordo com decreto assinado em 1932 pelo presidente Getúlio Vargas). Data especial, pois as mães recebem de suas crias o melhor presente: o amor. Um amor profundo, que não cabe em uma tradição de data marcada no calendário, ainda que seja comemorativa.

Sobre essa história do Dia das Mães partamos da Grécia antiga, quando se dão primeiros indícios desta comemoração. Já naquele tempo, os gregos prestavam homenagens à deusa Reia, mãe comum de todos os seres. Os(as) gregos(as) faziam ofertas, oferecendo presentes, além de prestarem homenagens à deusa.

Os romanos, que também eram politeístas e seguiam uma religião muita parecida com a grega, faziam este tipo de celebração. Em Roma, durava cerca de três dias (entre 15 a 18 de março). Lá, também realizavam festas em homenagem a Cibele, mãe dos deuses. Mas a comemoração tomou um caráter cristão nos primórdios do cristianismo. Era uma celebração realizada em homenagem à virgem Maria, a mãe de Jesus.

Outra comemoração mais semelhante aos dias atuais encontramos na Inglaterra do século XVII. Era o “Domingo das Mães”.  Durante as missas, os(as) filhos(as) entregavam presentes para suas mães. Aqueles(as) que trabalhavam longe de casa, ganhavam o dia para poderem visitar suas mães. Portanto, era um dia destinado a visitar as mães e dar presentes, muito parecido com que fazemos atualmente.

Nos Estados Unidos, a ideia de criar uma data em homenagem às mães foi proposta, em 1904, por Anna Jarvis. A ideia dela era criar uma data em homenagem a sua mãe que havia sido um exemplo de mulher, pois havia prestado serviços comunitários durante a Guerra Civil americana. Seus pedidos e sua campanha deram certo e a data foi oficializada, em 1914, pelo Congresso Norte-Americano. A lei que declarou o Dia das Mães como festa nacional foi aprovada pelo presidente Woodrow Wilson. Após esta iniciativa, muitos outros países seguiram o exemplo e incluíram a data no calendário.

Após estes eventos, a data espalhou-se pelo mundo todo, porém ganhando um caráter comercial. Sua essência estava sendo esquecida e o foco passou a ser a compra de presentes, ditados pelas lojas com objetivos meramente comerciais. Este fato desagradou Anna Jarvis, que estava muito desapontada em ver que o caráter de solidariedade e amor da data estavam se perdendo. Ela tentou modificar tudo isso. Em 1923, liderou uma campanha contra a comercialização desta data. Embora com muita repercussão, a campanha pouco conseguiu mudar.

É o mercantilismo invertendo o sentido de amar. Afinal, o mais fácil é encontrarmos formar de presentear nossas mães, diariamente, com pouco investimento. Vejamos: abrace-a; dê-lhe um beijo; faça um telefonema por mais que rápido; pisque o olho ao sair de suas vistas em sinal de que está tudo bem; deite sua cabeça em seu colo; sente-se ou deite-se ao lado dela e conte seu dia; mais, pergunte como foi o dia dela, sem pressas; beba do seu café e coma de sua comida sem referir-se às dietas; diga-lhe que está bonita, que o tempo não passa para ela; saia para passear em sua companhia, a pé, de carro, de ônibus, ou mesmo empurrando sua cadeira de rodas. Muitos destes ‘presentes’ se adequam também à distância física.

E para quem já se despediu de sua única ou várias mães da vida, agarre-se às felizes lembranças, cultive a melhor saudade e a(as)sintonize sua mais profunda oração. Caso você não seja mãe ainda ou não tenha tido essa experiência até o momento, pense na felicidade dos filhos e filhas do mundo que, porventura, tenha conquistado. Professoras, por exemplo, são dessas mães dos(as) filhos(as) dos outros. E como são.

Ah, se chorar, não tem problema, também não precisamos pagar por lágrimas de amor.


Email